domingo, 21 de julho de 2013

Man of Steel

 Opaaa... Finalmente entrou em cartaz o filme do maior super-herói dos quadrinhos: Man of Steel.

Um dos filmes mais aguardados e receosos de todos os tempos, tendo em vista o desastre que foi Superman estrelado pelo inexpressivo Brandon Routh, Man of Stel é uma lavada de alma aos fãs do gênero.

Muitos podem discordar do que digo, mas Henry Cavill não deixa nada devendo ao célebre Christofer Reeve. Aliás, nada em Man of Steel fica devendo às produções dos anos 80.

Zack Snyder foi ousado ao afirmar e mostrar que "a inocência acabou" e conseguiu transportar o universo do herói para os dias atuais. Com uma direção precisa, soube dosar drama e viradas impressionantes mostrando pela primeira vez um pouco do muito potencial do azulão.

No roteiro conseguimos encontrar a forte e vitoriosa influência de Christopher Nolan, nos tons sombrios, nas explicações tatibitati para nada parecer solto, nas cenas onde são mostradas e resgatadas a comparação entre o herói e Jesus Cristo (os fãs vibram com esse resgate às HQ's) e a história de amor (rasa) entre o herói e a mocinha. Junto a Nolan e Snyder, David S. Goyer acrescentou sua experiência tornando o roteiro firme, com início, meio e fim.

Ponto positivo também, por terem explorado algo que sempre soubemos, mas nunca enxergamos (não sei porque) por esse ponto: como nós reagiríamos se descobríssemos que não estamos sozinhos no universo? É exatamente a partir disso que o filme se desenrola em quase 180 minutos de adrenalina.

Como disse antes, cheio de citações - "Você é a pergunta para 'estamos sozinhos no universo?'", "Ele será um deus para eles" -  e mais fiel aos quadrinhos antigos, Man of Steel também acertou ao entregar a trilha sonora para Hans Zimmer, que soube encaixar perfeitamente com cada tomada.

Outro ponto positivo, foi materializar Kripton da maneira merecida dando destaque aos pais de Kal-el, brilhantemente interpretados por Russell Crowe (com destaque merecido ao longo do filme) e Ayelet Zurer

Somados à produção, junta-se um celeiro de excelentes atores defendendo suas personagens. Amy Adams mostra porque sua Lois Lane é a vencedora do Pulitzer. Tá certo que vira e mexe, eu cheguei a cogitar que ela sairia cantando com animais para tentar salvar o mundo... rsrs

Diane Lane, em nada lembra seus trabalhos anteriores e apresenta uma Martha Kent madura e cuidadosa com o filho que se descobre um grande herói. Kevin Costner, com papel fundamental no molde de personalidade de Clark, consegue arrancar lágrimas com apenas um balançar de mãos, tamanha a entrega à personagem.

Antje Traune, traz uma Faora perversa, com olhar frio e esbanjando maldade, digna de inspiração à Ursa de Superman II. Ao lado de Cavill, Michael Shannon, é um dos grandes destaques/surpresas de Man of Steel. É como se o personagem fosse o próprio Shannon.

O Homem de Aço é  um excelente filme em todos os sentidos, e vale muito a pena! É uma produção em que tudo está no lugar certo: elenco, direção, roteiro e trilha sonora, tudo no mais perfeito casamento. Não percam!

5 comentários:

  1. Aleluia.....encontrei outro site que como eu elogiou o filme.


    Eu adorei O Homem de Aço.


    ResponderExcluir
  2. Não perderei! =]
    André San - www.tele-visao.zip.net

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu passo beeeeem longe desse tipo de filme. Rs... Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  4. Eu não tinha visto nenhum comentário a respeito do filme, estava até com medo dele não ser bom. Mas após sua postagem irei assisti - lo. E seu blog é muito bom!!

    Abrs!
    http://portalvitamina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Aguarde, em breve seu comentário será aprovado... Lembre-se que este espaço é visitado por pessoas de todas as idades e credos, por isso, comentários que ofendam a moral e os bons costumes serão rejeitados. Enquanto isso, aprecie sem moderação!